terça-feira, 14 de dezembro de 2010

O rótulo

No início sente-se a necessidade de rotular. O padrão das novelas midiáticas de romance italiano infestam a cabeça dos adolescentes e você precisa definir o que sente, rotular o que vive, como se você e suas experiências fossem padronizáveis. Você começa a entrar em crise porque é simplesmente impossível padronizar pessoas diferentes, no máximo é possível gerar um nivelamento em que ainda há muitas divergências...

E as mocinhas assistem às novelas... e elas querem aquela paixão conturbada, flores e bombons todos os dias... A TV mostra o fútil, e elas acreditam que o fútil é a mais pura demonstração do verdadeiro amor... E vão se tornando cegas... Elas acham lindo ciúme exagerado... elas querem viver como numa novela... Por favor, desliguem a TV.

Alguns mocinhos, acreditam apenas no primeiro encantamento, há meninas que também perdem o resto da vida achando que apenas a primeira garrafa de vinho é capaz de embriagar e não bebem mais... Mas já dizia uma amiga minha que é impossível viver sóbrio... e você acaba experimentando outras coisas... uma vodka que só lhe rende uma puta dor de cabeça no dia seguinte... um mojito que não te faz flutuar mas refresca um dia de calor... às vezes toma um whisky mesmo que é pra esquecer tudo que já tomou e não valeu a pena...

De tanto experimentar bebidas diferentes você vai se desprendendo da maldita ideia de rotular as pessoas e os relacionamentos, outros infelizmente não, insistem na ideia de viver contos dignos de Benedito Ruy Barbosa e passam o resto da vida infelizes. Alguns se acostumam com a ideia de apenas engarrafar o vinho pra guardar as lembranças... sem rótulos... Estes começam a aprender como degustar um vinho... e, de fato, a desfrutar da vida.

Ah... Mas quem não sucumbe aqueles rótulos bem feitos? Feitos exatamente pra criar necessidades desnecessárias? Aqueles que se você tirá-lo da garrafa ninguém a compraria porque seu conteúdo está mais para um suco de uva mofado? É meu amigo... Rotular ou não rotular? Comprar com rótulo ou sem rótulo?

Nade...
Licença Creative Commons
This work is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-Vedada a criação de obras derivadas 2.5 Brasil License.